Plataforma de Ensino
Ferramentas da SST

Mapa de Risco

Mapa de Riscos

O Que é Mapa de Riscos

Mapa de riscos é uma representação gráfica que, por meio de círculos de diferentes cores e tamanhos, representam diferentes riscos existentes na empresa e em cada ambiente de trabalho.

Mapa de Riscos e a Segurança do Trabalho

Antes de aprender a elaborar o Mapa de Riscos, precisamos entender para que servem os mapas de risco. A princípio, o objetivo principal do mapa de risco é informar e lembrar os trabalhadores, de forma clara e visual, os riscos existentes no ambiente de trabalho.

É sempre importante que o mapa de riscos seja fixado em local de fácil acesso e visualização, dessa maneira, os frequentadores dos diferentes ambientes serão informados dos riscos aos quais estão expostos.

Mapa de riscos e a Cipa

Quem elabora o Mapa de Riscos? De acordo com a NR 5, quem deve elaborar o Mapa de Risco é a CIPA ou o Designado CIPA. O apoio do SESMT, quando existente, é indispensável.

Para que serve o Mapa de Riscos?

A elaboração do Mapa de Riscos faz com que a empresa reúna informações importantes, uma vez que, funciona como um diagnóstico da situação atual de segurança e saúde no ambiente de trabalho. Da mesma forma estimula a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores, a CIPA e o SESMT.

Em outras palavras, o mapa de riscos tem como função:

  • Estimular Análise de Risco do Trabalho (ART)
  • Incentivar a participação de todos nas atividades de prevenção
  • Divulgar e alertar quanto aos riscos existentes em cada ambiente de trabalho.

Mapa de Riscos e a Análise de Riscos

A elaboração do Mapa de Riscos tem como ponto inicial a Análise de Risco.

A partir da Análise de Riscos, não apenas se  identifica os riscos existentes, como também  se define os diferentes níveis de riscos. Para definir os níveis de riscos são confrontadas as probabilidades e as consequências dos possíveis danos.

Análise de Riscos Segurança do Trabalho

A Análise de riscos é de suma importância para a segurança do trabalho. Conforme a  NR1 é de responsabilidade do empregador elaborar as ordens de serviços, por meio do qual os trabalhadores devem tomar ciência dos riscos em suas atividades.

Para desenvolver programas como o PPRA ( Programa para Prevenção de Riscos Ambientais) presente na NR-9, assim como o PCMAT ( Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria de Construção Civil, que substitui o PPRA na indústria da construção civil, tem seus desenvolvimentos realizado a partir da análise de risco.

A análise de risco influencia e orienta o médico do trabalho na elaboração do PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), presente na NR7.

Outras situações e NRs que utilizam a análise de riscos:

Classificação dos Riscos

Os riscos são subdivididos em 5 categorias principais:

Leia também os artigos: Risco Biológico / Risco Químico / Risco Ergonômico

Tipos de Riscos

Todos os possíveis riscos devem estar presentes no mapa de riscos, posto que, a omissão pode acarretar em um redução na percepção de risco e consequentemente possíveis acidentes ou doenças.

Riscos Físicos
  • Os riscos físicos no ambiente de trabalho são as diversas formas de energia presentes no ambiente de trabalho, tais como:

Normalmente, mais de um dos itens citados estão presentes no ambiente de trabalho, entretanto, muitas das vezes não são considerados como um risco. Esta situação ocorre pois, a probabilidade de causarem danos é muito pequena.

Um exemplo é o ruído, que por certo esta presente e todos ambientes de trabalho, entretanto, só é prejudicial a partir de certa intensidade e tempo de exposição do trabalhador.

A NR15 define esses parâmetros, desta forma, para ambientes com ruído incomodo, é recomendado realizar medições, Com tais informações deve-se verificar se o resultado está de acordo com a legislação. Os efeitos dos riscos físicos vão desde irritação e cansaço até o câncer.

Riscos Químicos
  • Os riscos químicos no ambiente de trabalho caracterizam-se pela possibilidade do contato do trabalhador com substâncias, compostos ou produtos tóxicos.

Os produtos químicos podem penetrar no organismo do trabalhador através da via respiratória ou serem absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão, podendo causar agravos à saúde.

Outra forma de risco químico é a presença de substâncias que diminuem a concentração de oxigênio em um ambiente específico, podendo levar a morte do trabalhador por asfixia simples, ou seja, pela falta de oxigênio no ar.

Como exemplos de riscos químicos temos as poeiras minerais, a poeira do bagaço da cana-de-açúcar assim como os fumos metálicos liberados em processos de fundição.

Os riscos químicos causam consequências como, dores de cabeça, irritação, doenças pulmonares e até mesmo a morte.

Conheça cada riscos no curso Riscos e Insalubridades no Processo Produtivo.

Riscos Ergonômicos
  • Já os riscos ergonômicos no ambiente de trabalho são os fatores que podem afetar a integridade física ou mental do trabalhador, proporcionando desconforto ou doença.

Alguns exemplos são: postura, esforço físico, monotonia no ambiente de trabalho entre vários outros exemplos.

Riscos Mecânicos
  • Os riscos mecânicos no ambiente de trabalho, também conhecidos como risco de acidente, são fatores que colocam em perigo a integridade física do trabalhador.

Os ricos mecânicos são gerados per agentes que precisam de contato físico direto com a vítima. Envolvem equipamentos, objetos, arranjos físicos, ferramentas, entre outros.

Riscos Biológicos
  • Os riscos biológicos no ambiente de trabalho ocorrem por meio de microrganismos que, em contato com o homem, como exemplo, temos os vírus, fungos, bactérias e parasitas.

COMO FAZER O MAPA DE RISCOS?

Como vimos, para elaborar o Mapa de Riscos é preciso identifica os riscos existentes no trabalho, e posteriormente definir os diferentes níveis de riscos.

Com a finalidade de definir os diferentes níveis de riscos, é realizado um confronto entre probabilidade e consequências do dano, para isso, é montada uma matriz de nível de risco.

A ferramenta tem a função de quantificar os riscos, separando-os em diferentes níveis de atenção.

Para mais informações, conheça nosso curso completo de Análise de Riscos e Mapa de Riscos.

Com estas informações é hora de montar o mapa de riscos.

Mas como identificar os riscos? Analisar sua probabilidade de ocorrer? E seu possível dano?

Como vimos a Análise de Riscos em Segurança do Trabalho é a base para se montar a matriz de nível de Riscos, então vamos conhecer um pouco mais a ART.

Análise de riscos segurança do trabalho

A Análise de Riscos é o início da elaboração do mapa de riscos, assim como a etapa mais importante e complexa, consequentemente, é importante que o profissional tenha alguns conhecimentos:

  • Processo e procedimentos produtivos da empresa,
  • Ambiente de trabalho da empresa,
  • Equipamentos e produtos utilizados,
  • Legislação,
  • Histórico de acidentes da empresa e do ramo de atividade da empresa,
  • Levantamentos ambientais já realizados pela empresa, e se necessário, realizar novos.

Na busca por possíveis riscos a conversa com os trabalhadores de maneira informal ou a partir de um questionário pré-definido têm grande importância, visto que as queixas mais comuns devem ser analisadas.

As causas mais frequentes de ausência ao trabalho, dentre outros indicadores de saúde, devem ser analisados .

Outro ponto importante para se realizar a análise de risco é conhecer a jornada de trabalho dos colaboradores do local, pois, o tempo de exposição ao risco tem grande influência sobre a probabilidade de um acidente ocorrer ou um agente insalubre prejudicar a saúde do trabalhador.

Nessa análise ainda deve ser considerada as atividades não rotineiras e as intermitentes, ou seja, aquelas que não acontecem durante todo o dia, ou aquela que só acontece em alguns dias específicos.

Grupo Homogêneo de Exposição

Na avaliação dos riscos recomenda-se criar o GHE (Grupo Homogêneo de Exposição), que representa um grupo de trabalhadores expostos ao mesmo risco. Como resultado não é necessário realizar o estudo por trabalhador, e sim, por GHE. Vale ressaltar que é necessário que o período de exposição dos integrantes do GHE seja o mesmo.

Para o mapa de riscos,adapta-se a análise do riscos habitual ao focar o local onde os riscos esta presente e não a atividade.

Deve-se sempre analisar as questões legais em relação aos riscos identificados, por exemplo, na análise de um serviço que exige tarefas em espaço confinado, deve-se conhecer a NR33, que legisla sobre trabalhos realizados em espaço confinado. Muitas das vezes, a legislação exige uma avaliação quantitativa, ou seja, a realização de levantamento da concentração de agentes nocivos à saúde presentes no ambiente estudado.

Como desenhar o Mapa de Riscos

A representação do mapa de riscos deve ser de fácil compreensão.

Sobre o croqui do ambiente de trabalho em análise desenha-se círculos.

  • Cada circulo representa um risco diferentes.
  • Os círculos devem possuir diferente tamanho, visto que seus danos potenciais e probabilidades de acontecer são diferentes. Desta forma, quanto maior o risco maior o circulo.
  • Cada círculo possui cor específica que representa o grupo de risco que ele pertence.
  • Legenda facilitando a compreensão do mapa de riscos.

Mapa de Risco Cores

Risco biológico – cor marrom;

Risco Mecânico – cor azul;

Risco químico – cor vermelha;

Risco ergonômico – cor amarela

Risco Físico – cor verde.

Gostaria de aprender a realizar um Análise de Riscos e elaborar um Mapa de riscos? Conheça nosso curso! Análise de Risco & Mapa de Risco

Inscreva-se em Nosso Canal do Youtube
Inscreva-se em Nosso Canal do Youtube