Plataforma de Ensino
Riscos Ocupacionais.

Risco Biológico

O que é Risco Biológico?

risco biológico é a possibilidade de contato entre o trabalhador e um ou mais agentes biológicos potencialmente patogênicos.

Uma substância patogênica é aquela que provoca ou pode provocar, direta ou indiretamente, uma doença.

Agentes biológicos são microrganismos e/ou produtos de seu metabolismo ou, ainda, substâncias liberadas por seres vivos que desencadeiam reações alérgicas no organismo humano.

Como exemplo, temos os vírus, bactérias, protozoários, fungos, bacilos e outros, que causam alergias, mal-estar, doenças como hepatite, dermatites, AIDS, etc.

Risco Biológico formas de contaminação

A contaminação pode ser pela via respiratória, ou seja, pela respiração, pela pele, como em alergias, acidentes com agulhas ou através de picadas de animais infectados e pelo sistema digestivo durante alimentação ou hidratação.

Risco Biológicos Insalubridade

A exposição ocupacional é caracterizada pela possibilidade de contato do trabalhador com um ou mais agentes biológicos potencialmente patogênicos.

O cidadão comum também é exposto a agentes biológicos, e também está susceptível a contrair gripe ou febre-amarela, por exemplo.

Assim, quando analisamos os riscos biológicos deve-se sempre comparar se a exposição é maior que a da comunidade em geral, e se esta exposição possibilita o contato e, consequentemente, a infecção.

Dessa forma, funções em que os trabalhadores têm contato direto com vômito, sangue, tosse, etc… ou manipulam objetos potencialmente infectados, são funções em que os trabalhadores estão em contato com um possível agente patológico com maior risco de contaminação do que o cidadão comum.

Risco Biológico Classificação

Para classificar os riscos biológicos e entender melhor os possíveis danos são realizadas “3” perguntas:

  • Qual o possível dano da infecção?
  • Existe tratamento para este agente biológico?
  • Qual o risco de propagação coletiva? Quais as formas de transmissão deste agente? É pelo ar ou por vetores como o Aedes Aegypti?

Respondendo estas três questões, a Avisa criou uma classificação para o risco biológico.

  • Classe de Risco 1: Agentes biológicos que apresentam pequena ou nenhuma capacidade de gerar danos ao trabalhador e seu risco de propagação é baixo.
  • Classe de Risco 2: Agentes biológicos que apresentam uma moderada capacidade de gerar danos ao trabalhador e baixo risco de propagação, como a Herpes. São agentes que podem causar doenças em pessoas e animais, mas há tratamentos.
  • Classe de Risco 3: Agentes biológicos que podem causar sérios danos ao trabalhador e têm risco moderado de propagação. Estes agente biológicos podem transmitir doenças graves, como a febre amarela e o HIV, tem a capacidade de propagação moderada. Este risco é considerado grave e de propagação moderada.
  • Classe de Risco 4: Agentes biológicos de alta periculosidade, sem tratamento eficaz e que apresentam risco para toda a sociedade, pois, têm alto poder de propagação. Um exemplo, é o ebola, que não tem um tratamento eficaz, muitas vezes leva ao óbito do paciente, e têm facilidade de propagação.

Ao classificar os riscos é possível definir prioridades nas medidas de controle, assim como, definir medidas de controle para cada classe de risco.

Risco Biológico NR 15 Adicional de Insalubridade

O adicional de insalubridade por agentes biológicos é caracterizado por avaliação qualitativa. As atividades que caracterizam o adicional de insalubridade por agentes biológicos estão listadas na NR 15.

leia também  nosso artigo Adicional de Insalubridade NR 15

Atividades que caracterizam insalubridade para Risco Biológico

 Atividades que caracterizam insalubridade de grau máximo:

  • Contato permanente com paciente em isolamento por doenças infectocontagiosas ou objetos de seu uso não previamente esterilizados, assim como com carne, sangue, ossos, etc., de animais também portadores de doenças infectocontagiosas
  • Esgotos em galerias e tanques
  • Lixo urbano na coleta e na industrialização
  • Atividade que caracterizam insalubridade de grau médio:
  • Contato permanentemente com pacientes, animais ou com materiais infecto-contagiantes em hospitais, clínicas, ambulatório, laboratórios, preparo de soro, etc.
  • Cemitério: no serviço de exumação de corpos.
  • Estábulos e cavalariças: trabalhos com resíduos de animais deteriorados, etc.

Risco Biológico fatores de riscos

  • Virulência: Capacidade do microrganismo de infectar e causar doenças.
  • A resistência do hospedeiro: Corresponde a susceptibilidade individual. Cada ser humano responde diferente a cada infecção.
  • Dose

Medidas de Controle Risco Biológico

As medidas de controle para os riscos biológico são diversas, como mudanças na estrutura física, troca de equipamentos, alterações nos processos que evitem a possibilidade de contato do trabalhador com o agente patogênico entre outras.

ATENÇÃO: Não podemos nos esquecer dos treinamentos e o uso de EPI.

Risco Biológico Dicas:

  • Limitar ao mínimo o número de trabalhadores expostos ou com possibilidade de o serem.
  • Utilizar sistemas de contenção como capelas de segurança.
  • Realizar descarte de objetos ou substâncias infectadas conforme a legislação da Anvisa.
  • Disponibilizar produtos de desinfecção apropriados, chuveiros de segurança e lava-olhos e criar planos de ação em caso de acidentes que envolvam agentes biológicos.

Simbolo Risco Biológico

Risco Biológico
Inscreva-se em Nosso Canal do Youtube
Inscreva-se em Nosso Canal do Youtube