Plataforma de Ensino
Riscos Ocupacionais.

Radiação Ionizante e Não Ionizante

Radiação

Radiação é um processo físico de emissão e propagação de energia, que vai de um ponto a outro no espaço ou no meio material.

Existe uma grande dificuldade em se utilizar a radiação sem permitir que alguma radioatividade seja liberada em sua volta, o que pode gerar a exposição do trabalhador ao agente nocivo, porém, há uma quantidade determinada de radiação que pode ser tolerada pelo corpo humano sem que sejam esperados danos que superem os benefícios da utilização dela. Um exemplo, é ao se realizar um raio X de uma perna quebrada, o paciente fica exposto a radiação, mas a níveis aceitáveis para um processo esporádico.

O trabalhador que opera a máquina de raio X também fica exposto a radiação e de forma frequente, porém a níveis reduzidos em relação ao paciente que recebe uma dose de radiação no local do exame. Equipamentos de proteção individual e coletivo também reduzem a dose absorvida pelo trabalhador.

Radiação na Medicina.

Na medicina, o uso de materiais radioativos engloba tanto o diagnóstico quanto a terapia, principalmente na área da oncologia, que trata do câncer. Muitas vezes, a radiação é administrada diretamente no paciente para combate a doenças.

Radiação na Indústria.

Na indústria serve para o controle de processos e produtos, controle de qualidade de soldas e na esterilização.

Radiação na Agricultura

Na agricultura são utilizados no controle de pragas e pestes, na hibridização de sementes, preservação de alimentos, estudos para o aumento na produção de grãos, entre outros.

E claro na geração de energia, em usinas nucleares.

Radiação não ionizante e Radiação ionizante

A radiação pode ser subdividida em radiação ionizante, presente na NR-15 anexo 5 e a radiação não ionizante que é contemplada no anexo 7.

Diferença entre radiação ionizante e não ionizante

A diferença entre os dois tipos de radiação está no próprio nome, a radiação ionizante é a radiação com energia suficiente para produzir a ionização.

O que é Radiação Ionizante?

A radiação ionização é a que produz a Ionização, e ionização é o processo por meio do qual um átomo ou uma molécula perde ou ganha elétrons para formar íons.

Exemplos de radiação ionizante

  • Raio X.
  • Radiação alfa (α),
  • Radiação beta (β)
  • Radiação gama (γ)

A radiação ionizante penetra de acordo com seu tipo e energia. Enquanto partículas alfa podem ser bloqueadas por uma folha de papel, partículas beta requerem alguns milímetros de, por exemplo, alumínio, para bloqueá-las, enquanto a radiação gama de alta energia requer materiais densos para bloqueá-la, como por exemplo, chumbo ou concreto.

Radiação não ionizante

A radiação não ionizante é menos energética além de não ter poder de penetração, age principalmente sobre a superfície onde os raios incidem.

Exemplos de radiação não ionizantes

  • Radiação ultravioleta
  • Radiação Infravermelho
  • Radiofrequência
  • Lasers
  • Micro-ondas

Radiação não ionizante e Radiação ionizante Insalubridade

A NR-15 define Limites de Tolerância para a exposição a radiação ionizante.

Leia também: Adicional de Insalubridade NR 15

Toda exposição a radiação ionizante pode levar a algum risco de danos à saúde humana, e este risco aumenta com o aumento da exposição, por isso, qualquer aplicação da radiação que conduza a exposição do homem deve ser justificada, para garantir que o benefício decorrente dessa aplicação seja mais importante do que o risco devido a exposição.

A exposição a radiação é calculada em dose, que representa a quantidade de energia absorvida por um determinado material ou por um indivíduo.

O limite de dose representa um valor máximo de exposição a radiação, abaixo do qual os riscos decorrentes da exposição à radiação são considerados aceitáveis.

O Limite de Tolerância é definido pelos limites de Dose Anuais Máximos Admissíveis, que são valores de doses aos quais os indivíduos podem ficar ex-postos, sem que isso resulte em um dano à sua saúde. Para o estabelecimento dos limites máximos admissíveis para trabalhadores foram considerados os efeitos somáticos tardios, principalmente o câncer, que pode aparecer anos após a exposição.

O limite de tolerância para exposição à radiação ionizante é definido pelo CNEN, Comissão Nacional de Energia Nuclear. Existem limites especiais para várias categorias de pessoas: mulheres em idade fértil, gestantes, estudantes, estagiários, visitantes, etc. O acompanhamento devem ser realizados pelo SESMT.

Efeitos da radiação ionizante:

  • Queimaduras
  • Câncer
  • Alterações menstruais
  • Dano grave ao cérebro
  • Alterações gastrointestinais
  • Infertilidade
  • Doenças congênitas

Fatores que potencializam os riscos

  • Tipo de fonte radioativa
  • Tempo de permanência junto a fonte
  • Distância da fonte ao indivíduo
  • Falta de blindagem (barreira que contenha a radiação, exemplo, parede de chumbo)
  • E a susceptibilidade individual

Em caso de acidente com fontes de radiação ionizantes mantenha distância, e entre em contato com a área de Emergência do CNEN.

Efeitos da Radiação não ionizantes

As radiações não ionizantes são comuns em nosso dia-a-dia como a radiação solar, a luz visível, a radiação infravermelha, os campos de radiofrequências, micro-ondas, e etc.

As radiações não ionizantes presentes no ambiente de trabalho que causam danos a saúde do trabalhador são, principalmente, a radiação solar e os processos de solda que emitem radiação UV.

Exemplo de efeitos da radiação não ionizante

  • O Envelhecimento precoce da pele
  • O câncer de pele
  • Lesões na pele e nos olhos, que é o caso da realização da solda sem as devidas proteções
  • Cansaço

O cansaço gerado pela exposição ao sol sem a devida proteção, pode gerar acidentes ao reduzir a capacidade de atenção e reação do trabalhador, assim como reduzir a sua produtividade.

Fatores que potencializam os riscos

  • Tempo de exposição
  • Não utilização de protetor solar
  • Não proteção da pele e dos olhos
  • Susceptibilidade individual

As operações ou atividades que exponham os trabalhadores às radiações não ionizantes, sem a proteção adequada, serão contempladas com o adicional de insalubridade, segundo a NR-15, em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.

São poucos os casos em que é pago o adicional de insalubridade devido a exposição a radiação não ionizante. O caso do soldador é um dos poucos casos, e a utilização do EPI correto é suficiente para proteger o trabalhador e evitar a insalubridade.

Radiação solar

No caso da exposição solar, o adicional de insalubridade, quando devido, é normalmente concedido baseado no anexo 3 “Limites de Tolerância para exposição ao calor” e não pelo anexo 7 “Radiações não ionizantes”.

Simbolo da Radiação

Inscreva-se em Nosso Canal do Youtube
Inscreva-se em Nosso Canal do Youtube